Esgotamento emocional: o que acontece quando você se preocupa demais com a opinião dos outros

Por Camila Heloíse

Tentar agradar a todos é uma escolha em vão. Uma ideia que nos parece a mais correta, e repetimos a nós mesmos que precisamos que as pessoas aceitem as nossas escolhas e, se elas não aceitarem, nós mudamos as nossas escolhas e nos adaptamos ao que agrada a todos. Também em vão. Já que é impossível agradar a todos que você ama. Alguém sempre estará insatisfeito com sua opinião, sua posição e suas escolhas. Sabe por que? Porque cada pessoa é exatamente isso: UMA pessoa.

Mas, afinal, isso deveria realmente importar?

Quando tentamos agradar a todos, nos preocupando com o que o outro vai pensar e dizer para cada atitude nossa, nos boicotamos. Nós tiramos de nós nossa verdadeira essência e deixamos de ser quem somos para agir feito robôs, sufocando nossas emoções.

É óbvio que isso não sairá impune.

Seu coração reclamará. Sua mente. Seus órgãos. Todo o seu corpo, uma hora ou outra, irá sofrer as consequências de se esforçar para agradar a todos e de se preocupar demais com a opinião dos outros. É nessa hora que nos esgotamos emocionalmente.

Proibindo os verdadeiros desejos que residem dentro de nós de se manifestar, matamos a nós mesmos. E não espere que alguém surja e te socorra, não espere que entendam e mudem de opinião apenas para salvá-lo. Não gaste seu precioso tempo tentando provar nada a ninguém.

Você é o responsável por sair desse bote que tende a afundá-lo completamente sozinho.

Pense bem, todas as pessoas são únicas, eu sou um, você é outro, nossas consciências são separadas assim como nossas experiências e desejos, além daquilo que nos traz amor, felicidade, paz ou tristeza e amargura. São poucas as pessoas que respeitam estas diferenças, eu sei, mas então, o que devemos fazer?

“Ame as pessoas, mas deixe com elas o que é delas”.

Aprendi isso com a minha falecida avó. Ela, muitas vezes, também não concordou com as minhas escolhas, julgou meu comportamento e tentou mudar o que eu pensava em relação a algumas pessoas e situações. E eu levei comigo exatamente o que ela me ensinou. Eu continuei a amando, e não deixei que a opinião dela sobre algo influenciasse no que eu pensava sobre mim mesma. O que ela pensava era só dela, não meu.

Quando aprendemos a separar uns dos outros, a respeitar e entender a diferença entre as pessoas, ficamos apenas com o amor. E isso, resulta em uma sensação de paz que não se compara com nenhum outro sentimento.

Portanto, se hoje alguém não concorda com como você escolheu levar a própria vida, com quem você escolheu para amar, com o lugar que você escolheu para trabalhar, para morar ou com alguma decisão importante que você tomou ou pretende tomar – não recue, não desista de seguir com o que você acredita.

Siga o que a sua essência pede. E apenas continue amando as pessoas, mas deixe com elas o que é delas, e leve com você apenas a confiança e a certeza das suas escolhas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s