Jaya Magalhães: a arte de tocar as pessoas por meio das palavras

Texto: Camila Heloíse | @camilaheloiseescritora

“A escrita foi me absorvendo com o passar das horas, de modo que cheguei a um momento onde não dava mais para esconder: era o que eu era. O que sou”.  

A fala é de Jaya Magalhães, direto da Bahia, acertando em cheio o coração da gente aonde quer que estejamos nesse mundão.

Escrever sobre Jaya, escritora autora de Líricas e de Bem Ditas Cartas é como saltar de paraquedas. Você quer muito essa aventura, mas ela também te dá medo. Posso imaginá-la sentada em um banco de madeira na varanda olhando o horizonte, falando sobre sua história e fazendo pausas apaixonantes que não dá vontade de interromper, porque até mesmo no silêncio dela, deve haver poesia. “Por que você escreve?”- pergunto. “Porque é a coisa mais natural que sei fazer. Porque a palavra é como se fosse a extensão do que sou. Porque me cura. E, sobretudo, porque não sei desenhar” – ela responde.

Coloquei então Skap, canção de Zeca Baleiro para tocar enquanto escrevia. Não a conhecia (a canção), mas é a música preferida da Jaya. E a sensibilidade e poesia contidas na canção, faz compreender porque é a sua favorita.

Continuar lendo “Jaya Magalhães: a arte de tocar as pessoas por meio das palavras”

Nuno: toda grande ideia surge a partir de um esboço

Texto: Camila Heloíse | @camilaheloiseescritora

Os jornalistas, escritores ou simplesmente os apaixonados por papelaria que se segurem, porque a coluna PARA INSPIRAR traz, dessa vez, a história da realização de um sonho que acredito que grande parte de nós temos, mas, infelizmente nem todos somos dotados de talento como o Mário (e um bocado de magia também), ou seja: ser dono do próprio negócio e criar um material de papelaria que atenda suas necessidades e tenha a sua cara.

Mário Bernardes Júnior, natural de Florianópolis (SC) é um teimoso incurável, inspirado e inspirador. E toda a sua energia parece explodir em ideias para transformar a nossa vida e os nossos dias em dias mais organizados e, com isso, ainda mais leves e proveitosos.

Continuar lendo “Nuno: toda grande ideia surge a partir de um esboço”

Rafa Garcia: Inspirando mulheres a se vestirem de si mesmas

Mais ser, menos ter: conheça um pouco da história da consultora de imagem Rafaela Garcia

Texto: Camila Heloíse | @camilaheloiseescritora

De consumidora compulsiva para uma consultora de estilo focada em melhorar a relação com o consumo por meio de uma abordagem prática e objetiva, porém, humanizada, sem regras e bem distante dos padrões.

A história da Rafaela Garcia, natural de Petrópolis (RJ), inspira por tocar em dois tópicos que assistimos transbordar em nosso dia a dia: a infelicidade da não realização profissional e o consumo desenfreado.

Continuar lendo “Rafa Garcia: Inspirando mulheres a se vestirem de si mesmas”

Mente Grata: uma história de autoconhecimento e transformação

Para ler ao som de Free – Charlie Puth

Texto: Camila Heloíse | @camilaheloiseescritora

Em um mundo onde às vezes nos perguntamos: qual o meu lugar? A Fran e o Evandro descobriram que o Universo inteiro poderia ser a casa deles, e que o mundo era muito grande – o que seria um ótimo motivo para o casal nômade espalhar maravilhas por aí.

Sabemos que nenhum sonho nasce pronto e que nada cai do céu embalado para presente. É preciso lógica, dedicação e ação para tornar um sonho possível, e isso o Evandro tem de sobra. E para deixar tudo ainda melhor, a Fran incluiu na receita desse sonho muita emoção e toda sua doçura.

Continuar lendo “Mente Grata: uma história de autoconhecimento e transformação”

Parece o fim e dói como o fim

Texto: Camila Heloíse

O fim, vai por mim, também sabe ser recomeço. Machuca de um jeito, que nem dá para mensurar direito. Você acaba pagando um preço alto, pelo menos na maioria das vezes, mas nem sempre o fundo do poço, representa o fim de qualquer chance de ser feliz outra vez.

Dá uma vontade enorme de fugir, de dar no pé, cair na estrada, desaparecer, não dá? Só para não ter que acordar no mesmo lugar, ver aquelas mesmas pessoas, porque o que te aconteceu tem para você o peso de uma fratura exposta. E parece que está tão estampado na cara quanto uma.

Você anda por aí sangrando, mostrando partes de si que foram feridas de forma brutal, e isso vai se parecendo ainda mais com o fundo do poço, e nós aprendemos que esse não é um bom lugar para se estar. Você se sente andando por aí com uma placa estampada “vulnerável” e não consegue ver nada de bom nisso.

Mas não precisa ser assim.

Continuar lendo “Parece o fim e dói como o fim”

Os incomodados que se mudem: então, tchau!

Texto: Camila Heloíse

Eu não sei ao certo o porquê, mas um dia você acorda e simplesmente alguma coisa não se encaixa. É como se você estivesse no lugar errado ou na hora errada, com a pessoa errada ou fazendo algo completamente errado. Não falo sobre o conceito de certo ou errado, mas na inadequação que o corpo sente, de repente, com alguma coisa que parece não fazer mais sentido.

Você não sabe se é a roupa, o cabelo, o seu jeito ou o ar que mudou. Mas muda. E começa a doer. Dói porque vira aquela pedrinha bem pequenininha presa no sapato que você até consegue caminhar, mas incomoda horrores e tudo o que você consegue pensar é naquela maldita pedrinha que, às vezes, até dá um descanso e escorrega para o cantinho do dedo mindinho e fica ali folgadinha, mas depois ela vai parar na planta do pé, cutuca o calcanhar e você se irrita e precisa tirar o sapato para ela sair e você voltar a caminhar com leveza e conforto.

E eu te pergunto: Quem é você com a pedrinha no sapato?

Continuar lendo “Os incomodados que se mudem: então, tchau!”

Se você está cansado(a) de recomeços, esse texto é pra você!

Por Camila Heloíse

Oi. Eu sei o quanto tem sido difícil. Você se machucou diversas vezes, e antes era diferente, você ainda estava jovem e inspirado o suficiente para deixar tudo para trás e recomeçar. Um novo emprego era sempre uma nova oportunidade, uma nova casa ou outra cidade, era sempre uma conveniência para crescer, conhecer gente nova por aí. Um novo amor, uma nova paixão, sempre visto como um universo de descobertas fresquinho a te esperar.

Mas agora perdeu a graça e isso te afeta profundamente. Desta vez, tudo o que você gostaria era não ter que começar tudo isso, outra vez. Não precisar preparar o corpo, o coração, a casa e a pele para uma nova marca. Você já está exausto de ter que se desfazer de coisas e preparar o terreno do peito para recomeços. Se sente tão cansado que parece muito mais fácil apenas se deitar e deixar a vida passar, apenas aguardando o dia em que tudo isso vai finalmente acabar pra valer. Assim, não serão mais necessários os recomeços, e nem concentrar todos os fracassos num só.

A gente não quer ter que fazer esforço para parecer mais forte do que realmente se é, mais suficiente do que se é, mais flexível do que se é, só para convencer as pessoas que acabam de entrar em nossa vida a nos dar um pouco mais de tempo. Não quer ter que esconder tudo o que já viveu, sentiu e passou, dentro de uma caixinha e usar um disfarce, como se fosse uma pessoa intacta, como uma folha em branco. Estamos cansados de forjar essa esperança e otimismo 24 horas. É por isso que os recomeços nos pesam. O que desejamos é continuar a vida, sem tantas pausas e tantos finais. Sem precisar morrer tanto na praia.

Eu sei o quanto tem sido doloroso. E vim aqui para te dizer, que se você olhar esse cansaço, esse fim, como uma oportunidade de descobrir que você finalmente está livre para ser você mesmo, perceberá que está pronto para viver sem precisar se esforçar, sem máscaras, sem forçar aquilo que já te deixou tão cansado até aqui. Descobrirá, que todas essas pausas e finais não fazem parte de você, você continua correndo como um rio até o mar, só não se deu conta ainda.

Você não precisa encarar o fim como o retorno ao ponto de partida, como se todos estivessem em uma corrida em que você ficou para trás. Você apenas mudou o seu caminho. Partindo dessa ideia, entenderá que não é preciso recomeçar nada porque você não parou nada, apenas continuar, seguir em frente com a mesma dose de coragem dispensada até então, reforçar em seu peito de que todas as coisas são passageiras e você está seguindo a estrada, e as coisas apenas estão passando por você. Como deve ser.

Espero que você entenda que não está voltando ao começo, mas está atravessando algo importante, onde algumas coisas, que nunca te pertenceram e não pertenceriam, cumpriram seu papel em sua vida e agora precisam se desconectar de você.

Enxugue seus olhos, lave seu rosto e remova qualquer vestígio de lágrimas. Você não perdeu nada, você não findou. Compreenda que você continua sob seus pés, que ainda segue em seu caminho. As coisas ao seu redor é que chegaram ao fim do seu ciclo.

E hoje, eu não desejo que você recomece nada, pois tudo está como deveria estar, tudo continua fluindo como deveria, para um resultado ainda melhor e aprendizados ainda maiores.

Eu desejo, do fundo do meu coração, que você CONTINUE.

 

*É permitida a reprodução total ou parcial, desde que citada a fonte.